Breve Cronologia da Dor

291_1

7000 AC (aprox.) Em diversas civilizações antigas observam-se trepanações em crâneos que indicam uma possível tentativa de aliviar a dor.
2800 AC (aprox.) Na corte do Imperador Shen Nung utilizam-se extensivamente plantas medicinais. Há conhecimento específico sobre o efeito analgésico e anti-espasmódico de certas plantas em que se encontram princípios activos tais como a efedrina e o ácido salisílico(folha e casca do salgueiro).
2600 AC (aprox.) Referência na China à acupunctura como forma de tratar a dor.
300 AC (aprox.) Os Egípcios iniciam a produção de ópio, que comercializam no Mediterrâneo.
400 AC (aprox.) Hipócrates utiliza água fria e fisioterapia para alívio da dor, introduz o ópio e o ácido salisílico (folha e casca do salgueiro), e usa a compressão das carótidas como forma de anestesia cirúrgica.
175 (aprox.) Galeno estabelece diferenças entre tipos de nervos e classifica diferentes formas de dor.
1000 (aprox.) Avicena recolhe textos clássicos e desenvolve a variados aspectos da medicina; estuda a narco-anestesia e anestesia por refrigeração.
1500 (aprox.) Paracelso defende o uso de agentes químicos no controle da dor. Descreve a acção do éter em galinhas. Descobre que os alcalóides do ópio são mais solúveis em álcool do que em água, criando o láudano.
1662 René Descartes sugere que a dor se transmite da pele ao célebro através de fios delicados.
1784 James Moore desenvolve a "técnica de pressão sobre os nervos", a partir dos trabalhos de Ambrose Paré.
1803 Friedrich Wilhelm Serturner cria um derivado do ópio, a morfina que será da maior importância.
1828 Johann Buchner extrai da casca do salgueiro a salicina, da qual se fará o ácido acetil-salicílico, base da Aspirina.
1842 Primeira anestesia cirúrgica, por Crawford Long.
1846 O dentista William Morton faz demonstração pública da eficácia do éter como anestésico.
1874 O obstetra James Simpson utiliza o clorofórmio como substituto para o éter.
1884 Carl Koller desenvolve a anestesia local, ao aperceber-se da diminuição de sensibilidade provocada pela cocaína na língua.
1898 Introdução do uso de cocaína como anestésico por Heinrich Braun.

Referências:

http://www.sbhm.org.br/index.asp?p=noticias&codigo=108
http://www1.folha.uol.com.br/folha/treinamento/epidemiadador/te2202200216.htm

Projecto Dor

imm_75

 

Financiado por: